Transparência do Terceiro Setor

O SANTA MONICA CLUBE DE CAMPO
PERTENCE A CATEGORIA DO TERCEIRO SETOR.
Contabilidade e Transparência do Terceiro Setor
Chama-se “terceiro setor” as organizações não governamentais (sigla ONG), que não têm finalidade de lucro, mas congregam objetivos sociais, filantrópicos, culturais, recreativos, religiosos, artísticos.
O TERCEIRO SETOR é constituído por organizações sem fins lucrativos e não governamentais, que tem como objetivo gerar serviços de caráter público. Em geral é uma organização não-governamental que têm acesso a algumas facilidades, denominado “financiamento indireto”, que é uma forma de financiamento público feito por meio de algumas isenções tributárias, em relação ao setor privado.
O Clube, recebe a contribuições dos associados (TMD) Taxa de Desenvolvimento e Manutenção, gerando, com isto a necessidade de apresentar adequadamente a prestação de contas ao fisco e aos particulares, ou seja, patrocinadores que financiam, direta ou indiretamente, suas atividades.
Observe-se que o Clube está inserido e qualificado no terceiro setor, portanto, a publicação das informações contábeis não deve ser vista somente na perspectiva de uma exigência legal. Mas sim de princípio que seja transparente ao quadro associativo e vital para à sobrevivência do Clube.
A importância cada vez maior da prestação de conta com requinte e detalhe não é um afronto direto a administração, mais sim, um direito de os associados conhecer as mesmas e ver a sustentabilidade com a visão futura do Clube. A clareza da destinação dos recursos evidencia suas operações em forma de demonstrações, da origem e da destinação dos recursos recebidos.
A confiabilidade da nossa administração, vamos aprimorar e oferecer dados confiáveis aos associados, visando sua própria sustentabilidade:
1. A contabilidade é um eixo vital do sistema de informações do Clube, portanto, não deve ser relegada a segundo plano.
2. Buscar envolvimento das pessoas – finanças é responsabilidade compartilhada desde o momento em que o Clube se lança na busca de recursos até a hora de relatar a aplicação deles.
3. Agrupando as despesas por centros de custos, ou, por projetos específicos, o que tornará a informação clara e organizada.
4. Seremos preciso nos relatórios, sem complicá-los a ponto de serem inteligíveis. Usaremos os resumos e gráficos para facilitar, e, desde que apoiados por dados sólidos, constituem-se em ferramentas preciosas de informação. Prestação de contas com clareza e exatidão!
5. Atualização periódica, e conciliação constante das contas, são imprescindíveis para uma contabilidade do Clube gere, de fato, dados realistas e regulares.
6. Valorizar os profissionais que está à frente da tarefa contábil – não encarando-o como um mero prestador de serviços, mas como um parceiro na consecução dos objetivos da entidade.

Segurança é nossa preocupação

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e barba, texto que diz "DIA 22/03 DE UM BASTA A INSEGURANÇA MAIS DE 56 CÂMERAS SERÃO INSTALADAS Movimento Moniquense A VERDADEIRA SECURITY"

DAS NORMAS REGIMENTAIS -NOVO
CAPITULO XXII
SEÇÃO I
SEGURANÇA
Todo território físico do clube será coberto por uma central de controle de câmeras estendidas em 56 pontos funcionará em três turnos !
Cada área do clube têm sua particularidade no tocante a possíveis riscos de segurança com normas e regras definidas pela diretoria.
Garantir a integridade física dos associados e seus dependentes, dos funcionários, dos comodatários e das pessoas que legalmente são autorizadas adentrar no clube.
Dos veículos estacionados e em circulação !
Dos Bens e patrimônio do clube e associados e ou mesmo de terceiros que a guarda seja
De responsabilidade do clube por estar no
Interior deste !
Realizar análises de risco periódicas, no que tange à tecnologia, ambientes e pessoas.
As regras e normas estão estabelecidas no capítulo XXII e XIII das normas regimental, nos artigos 192 a 226.